Total de visualizações de página

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Exame de Polissonografia

Pois é 
minha pneumologista Dr Junia Rios (a melhor )
pediu um exame de polissonografia noite inteira.
Fui fazer no dia 30/01/2017,
(Clínica do Sono, 
Alameda do Ingá, 780 - Vale do Sereno, 
Nova Lima - MG, 34000-000)
clinica excelente.
Depois de fazer o exame ,na manhã seguinte você consulta com o Dr Dirceu ( ótimo medico)
Pessoal super educado (todos os funcionários ) e
Fui super bem tratada ,pelas meninas (por todas,mas as que cuidaram de mim durante o exame foram:
Kelly ,Alcione,
recepcionistas :  Brenda e Mariane 
Pois é nunca tinha feito ,
É o lance dessa doença é que você se tiver que morrer ,nem vai sentir,pois vai deitar pra dormir e não vai mais acordar.
É até melhor para a família ,é eu já imagino o que pode acontecer.


polissonografia é o exame usado para a investigação de vários distúrbios do sono. A pessoa deve dormir com sensores fixados na superfície do corpo, de maneira a permitir que a pessoa possa movimentar-se durante o exame, não atrapalhando assim o sono. O exame é indolor
O que é polissonografia?
Polissonografia (do grego: polis = muitos; somnus = sono; e graphos = escrita) é um exame de múltiplos parâmetros que se realiza durante o sono natural, com o objetivo de registrar as variações fisiológicas que ocorrem durante esse período e apurar suas possíveis anormalidades.
          A GENTE FICA IGUAL A UM ROBÔ
polissonografia geralmente é realizada à noite, com o paciente dormindo num laboratório de sono.  
Ela monitora três parâmetros principais, o eletroencefalograma, o eletro-oculograma e o eletromiograma, registrando as amplas variações fisiológicas que ocorrem durante o sono. Outros parâmetros, como fluxo aéreo nasal e bucal, oximetria, eletrocardiograma, movimentos respiratórios, movimento nos membros inferiores são também registrados e é feito um vídeo do exame, o qual contribui para o diagnóstico de doenças relacionadas ao sono. 
O paciente deve colocar cintas torácicas para registros dos movimentos respiratórios, cânulas nasais para medir o fluxo nasal, eletrodos na face e crânio para medir a atividade neural e muscular e, eventualmente, eletrodos nas pernas para registrar eventuais movimentos desses membros. Todos esses aparatos devem ser ligados por fios a um aparelho que faz registros gráficos dos dados encontrados. 

Quem deve fazer uma polissonografia? 

polissonografia deve ser feita por pacientes com roncoapneia do sonodispneia à noite, sonolência excessiva durante o dia, sensação de que o sono não recarrega as energias, problemas de memória, hipertensão grave ou sono agitado. 
polissonografia é o padrão ouro para diagnóstico de distúrbios do sono em adultos, adolescentes e crianças. 

         Qual o preparo para o exame? 


  • Lavar a cabeça com xampu neutro (não usar creme, condicionador ou gel). 
  • Não usar maquiagem na noite do exame. 
  • O cliente deve levar seus objetos de uso pessoal como pijama ou camisola, escova de dentes, escova de cabelos, e chinelos. 
  • Barbear-se antes de sua vinda à Clínica (exceto aqueles que usam barba normalmente). 
  • Não usar esmalte de cor escura. 
  • Trazer roupa bem confortável para dormir, sem elásticos nos punhos e tornozelos. 
  • Trazer travesseiro (caso não se sinta confortável usando outro) e objetos de uso pessoal. 
  • Manter o uso de medicamentos e trazê-los para o laboratório no dia do exame (a suspensão deverá ser feita somente por solicitação médica prévia). 
  • Evite café puro, refrigerantes ou cafeina nas 24h que antecedem ao exame (exceto se fizer uso diário de costume). 
  • Não ingerir bebida alcoólica nas 48h que antecedem o exame. 
  • Em caso de gripe, tosse, febre, ou qualquer outra queixa muito fora do habitual e que possa atrapalhar o exame, recomendamos que o exame seja remarcado. ( minha tosse quase fez o exame ser cancelado)
  • Informar as medicações que faz uso regularmente ou que fez uso nas últimas 72 horas. 
  • Informar se possui alergia aos materiais usados no exame:  
  • álcool 70%,  
  • acetona em solução,  
  • éter e micropore ou esparadrapo.

A apneia do sono é um distúrbio muito comum que faz com que se pare de respirar momentaneamente durante a noite, resultando em um sono pouco relaxante que não permite recuperar as energias para o dia seguinte. 
Na maioria dos casos, a pessoa não sabe que tem apneia do sono e, por isso, não é capaz de entender o excesso de cansaço durante o dia. 
No entanto, alguns sinais que ajudam a identificar este problema incluem: 


  1. Roncar intensamente durante o sono; 
  1. Parar de respirar momentaneamente durante o sono; 
  1. Acordar de forma bruta e com a sensação de falta de ar; 
  1. Acordar com boca ou garganta seca; 
  1. Dores de cabeça frequentes durante a manhã; 
  1. Excesso de cansaço e sono durante o dia; 
  1. Dificuldade para concentrar e fazer decisões difíceis; 
  1. Ficar irritado muito facilmente. 
Alguns destes sintomas são difíceis de identificar, no entanto, podem ser facilmente descritos por quem dorme no mesmo quarto. 
Assim, quando surge um ou mais destes sinais frequentemente é importante consultar um médico especialista em distúrbios do sono para fazer confirmar a existência deste problema e iniciar o tratamento adequado. 
Dados coletados durante o exame são analisados pelo médico especialista, que irá emitir um laudo que será entregue ao seu médico. 
                      Esse exame não é o meu ,é só para explicar como é feito ,cada ziguezague desse quer dizer alguma coisa



A PSG possibilita caracterizar o índice de apneia e hipopneias (IAH), a porcentagem de oxigênio que circula pelo corpo durante o sono, os micro despertares, as porcentagens de cada estágio do sono, registro do ronco em função da posição corporal, entre outros. 
Por meio da PSG, é possível diagnosticar a causa da fragmentação do sono, se está ocorrendo pausas na respiração enquanto a pessoa está dormindo (apneias), se há movimentos anormais dos membros inferiores. 
 polissonografia é indicada para os seguintes casos:  
  • Distúrbios respiratórios durante o sono - roncos, síndrome da apneia obstrutiva do sono, síndrome de aumento de resistência das vias aéreas superiores, entre outros. 
  • Controle pós-tratamento da apneia obstrutiva do sono como cirurgia,aparelhos bucais  , sonolência  excessiva diurna (SED), narcolepsia, hipersonia idiopática ou recorrente. 
  • Alterações motoras e de comportamento durante o sono - sonambulismo, distúrbio de comportamento do sono REM e epilepsia. 
  • Síndrome das pernas inquietas e movimentos periódicos dos membros inferiores. 
  • Insônia. 
Classificação da apneia obstrutiva do sono pelo IAH (índice de apneia e hipopneia / hora de sono):  
  1. Normal -  menor que 4,9/h 
  1. Apneia Leve -  entre 5 e 15/h 
  1. Apneia Moderada -  entre 15,1 e 30/h 
  1. Apneia Grave -  maior que 30/h
  2. (a minha esta a 79/h (fiz exame dia 30/01/2017 pra 31/01/2017)
  
O tratamento para a apneia do sono geralmente é iniciado com pequenas alterações no estilo de vida, por isso, quando a apneia é provocada pelo excesso de peso, por exemplo, é recomendado consultar um nutricionista para fazer um plano nutricional que permita a perda de peso, de forma a melhorar a respiração. 
Já quando a apneia do sono é causada ou agravada pelo uso de cigarros, é aconselhado deixar de fumar ou diminuir o número de cigarros fumados por dia, para evitar a inflamação das vias respiratórias e facilitar a passagem do ar. 
Porém, nos casos mais graves, como quando não é possível tratar a apneia de sono apenas com estas pequenas alterações, podem ser recomendadas outras Formas de tratamento como o uso de CPAP ou cirurgia 
O CPAP é um aparelho, semelhante a uma máscara de oxigênio, que empurra o ar até aos pulmões, através dos tecidos inchados da garganta, permitindo uma respiração normal que não interrompe o sono e que, por isso, permite ter um sono mais reparador. 
Normalmente, este aparelho só está indicado quando existe obstrução completa das vias respiratórias durante o sono ou quando não é possível melhorar os sintomas apenas com as alterações na rotina. 
No entanto, este aparelho pode ser pouco confortável de utilizar e, por isso, muitas pessoas optam por experimentar outros aparelhos semelhantes ao CPAP ou por realizar a cirurgia para corrigir o problema. 

Normalmente o tratamento cirúrgico para a apneia do sono só é indicado quando as outras formas de tratamento não funcionam, sendo recomendado experimentar esses tratamentos por, pelo menos, 3 meses.  
Porém, em alguns casos, as estruturas do rosto precisam ser alteradas para corrigir o problema e, por isso, a cirurgia pode ser considerada como primeiro forma de tratamento. 
Os principais tipos de cirurgia feitos para tratar este problema incluem: 
  • Remoção de tecido: é usado quando existe excesso de tecido na parte de trás da garganta para remover as amígdalas e adenoides, evitando que essas estruturas tapem a passagem de ar ou vibrem, provocando o ronco; 
  • Reposicionamento do queixo: é recomendado quando o queixo está muito retraído e diminui o espaço entre a língua e a parte de trás da garganta. Assim, é possível posicionar corretamente o queixo e facilitar a passagem do ar; 
  • Colocação de implantes: são uma opção à remoção de tecido e ajudam a evitar que as partes moles da boca e garganta impeçam a passagem de ar; 
  • Criação de nova passagem de ar: é usada apenas nos casos em que há risco de vida e as outras formas de tratamento não funcionaram. Nesta cirurgia é feito um canal na garganta para permitir a passagem do ar para os pulmões. 
Além disso, todas as cirurgias podem ser adaptadas para tratar o problema específico de cada pessoa e, por isso, é muito importante discutir todas as opções de tratamento com o médico. 

Os sinais de melhora podem demorar entre alguns dias até várias semanas para aparecer, dependendo do tipo de tratamento, e incluem diminuição ou ausência do ronco durante o sono, redução da sensação de cansaço durante o dia, alívio das dores de cabeça e capacidade para dormir sem acordar durante a noite. 

Os sinais de piora acontecem quando o tratamento não é iniciado e incluem aumento do cansaço durante o dia, acordar várias vezes durante o dia com intensa falta de ar e roncar intensamente durante o sono, por exemplo.
   FONTE: 
Dr: Dirceu Valladares 
Clínica do Sono, 
Alameda do Ingá, 780 - Vale do Sereno, 
Nova Lima - MG


Nenhum comentário:

Postar um comentário